(32) 3441-6001
 
Para informações exclusivas entre em contato pelo formulário abaixo:

O Sumário Brasileiro de Fêmeas 2019 trouxe como destaque absoluto a excepcional Fábrica FIV de Brasília, que tem nada menos que 164 descendentes classificadas como Top 10% para Produção de Leite.
São 23 filhas Fêmeas Jovens, 29 filhas Fêmeas Adultas, 108 netas Fêmeas Jovens, 2 netas Fêmeas Adultas e 2 bisnetas Fêmeas Jovens.

Dilmara FIV do Basa, com GPTA de 141 kg, representa a 3ª geração de doadoras que, além de ter consistência genealógica para realizarem grandes lactações, são fêmeas muito bem avaliadas para Produção de Leite. 
 

Dilmara é filha da Lonorra FIV do Basa, 11.863 kg de leite, GPTA 234 kg, Top 30%, e neta da Florida FIV de Bras., doadora com GPTA de 220 kg e lactação de 8.167 kg de leite.
 

O potencial produtivo da Família também é referenciado pela irmã completa da Lonorra, Filó FIV do Basa, doadora que apresenta GPTA de 336 kg e fez lactação de 12.920 kg de leite. 

 

Em virtude da sua genealogia e do seu evidente tipo leiteiro, Dilmara FIV do Basa é um dos destaques do Leilão Fórmula Basa . 

Para além de representar a  3ª geração da dinastia que sobressai entre as Top 10% do Gir Leiteiro, Julianne FIV do Basa ostenta o status de Família Fábrica.


Status não é tudo, mas, quando torna-se sinônimo de grande capacidade prevista de transmissão genômica (GPTA) para produção de leite, é fundamental.

Chamusca FIV do Basa, uma bezerra extraordinária 

 

Irmã completa de 19 Fêmeas Top 10% para Produção de Leite, entre elas a 2ª e a 5ª colocadas no ranking das Fêmeas Jovens, Chamusca FIV do Basa (Jaguar TE do Gavião x Honesta FIV do Basa), com a GPTA de 264 kg, apresenta inegável potencial genômico para acelerar o melhoramento do Gir Leiteiro.

 

Ela é “cabeceira” entre as Top 30%, estrato onde estão situadas as fêmeas detentoras de GPTA máximo de 267 kg e mínimo de 204 kg. 

Trinta e cinco centésimos que fazem a diferença

Fábrica FIV de Brasília é hoje a maior referência do Gir Leiteiro quando o assunto é conceber filhas, netas e bisnetas producentes e com boa avaliação genômica. As três líderes do ranking de Fêmeas Jovens, além de apresentarem as maiores PTAs genômicas da raça, são netas da Fábrica.

Ostentar o status de descendente de tão ilustre matriarca realça o mérito genético de qualquer rês.
Top 10% para Produção de Leite, com GPTA de 598 kg, lactação de 8.074 kg de leite em 305 dias, Fábrica tem 52 filhas ranqueadas como Top 10% para Produção de Leite, sendo 23 jovens e 29 adultas.
Pois bem. Somente nas Fazendas do Basa, nada menos do que 14 de suas filhas superaram seu desempenho produtivo, ultrapassando a barreira dos 10 mil quilos de leite em 365 dias.

E uma de suas filhas, Gina FIV do Basa, destaca-se no Sumário Brasileiro de Fêmeas 2019, com GPTA de 497 kg, lactação de 10.430 kg de leite em 365 dias e 7 filhas ranqueadas como Top 10% para Produção de Leite.

São 7 Top 10%, porque uma de suas filhas, Barbosa FIV do Basa (por Jaguar TE do Gavião), detentora de 352 kg de PTA genômica, foi ranqueada como Top 10,35% para Produção de Leite. Esses trinta e cinco centésimos, que parecem pouco, excluíram Barbosa do topo da pirâmide.

Gestando embrião fruto do acasalamento de Lusitano do Basa (Supra-Sumo x Ibiuna) com Bica FIV Cabo Verde (Jiba FIV de Brasília), Barbosa FIV do Basa será ofertada hoje à noite no Leilão Fórmula Basa, com transmissão pelo Canal Terra Viva.

Ostentando o status de Família Fábrica, e integrando a quarta geração de fêmeas avaliadas positivamante para produção de leite, Diamantina FIV do Basa (CA Sansão x Gorducha FIV do Basa, 10.395 kg de leite) faz parte da elite do Gir Leiteiro e está relacionada entre as Top 20% para Produção de Leite com a GPTA de 298 kg.

Detentora de forma (tipo leiteiro evidenciado) e conteúdo (excelência genética e consistência genealógica para produção de leite), Dimantina será ofertada no Leilão Fórmula Basa, na noite de 19 de março, com transmissão pelo Canal Terra Viva.  Quem tiver interesse poderá solicitar o catálogo e/ou informações sobre os lotes pelo telefone (12) 99620-2555.

Consistência genealógica para fixar forma e conteúdo

 

Nas Fazendas do Basa, a adição que mira a evolução é executada por intermédio da soma das três parcelas essenciais: pedigree (consistência genealógica) + fenótipo (úbere, pernas e pés funcionais) + genótipo (habilidades preditas de transmissão genômica para produção de leite e idade ao primeiro parto). Os resultados evidenciam famílias como a da “Fábrica”, com a geração mais nova quase sempre superando a mais velha em produtividade, o que faz com que alguns animais sejam a quarta geração de Fêmeas Top 10% para produção de leite.

 

Quem tiver interesse em agregar a seu rebanho a excelência genética transmitida  pela Fábrica tem uma grande oportunidade no próximo dia 19 de março, quinta feira, no Leilão Fórmula Basa, que será transmitido pelo Canal Terra Viva.

 

Trata-se de Nita FIV do Basa, neta materna da Fábrica, que produziu 8.697 kg de leite na 1ª lactação e e está avaliada com 260 kg de GPTA. Nita é filha de CA Sansão e Gratuita FIV do Basa (Jaguar TE do Gavião x Fábrica FIV de Brasília), que produziu 8.417 kg de leite na 1ª lactação.

 

Nita FIV do Basa está prenhe de touro que também é neto da Fábrica: Nóbrega FIV do Basa, Reservado Campeão Júnior Maior na Expozebu 2017, um dos destaques entre os tourinhos candidatos ao Teste de Progênie ABCGIL/Embrapa.

Os selecionadores mais atentos já perceberam que as grandes expectativas criadas em relação ao desempenho de Nóbrega no Teste de Progênie não se fundam apenas nos bons resultados obtidos na prova de pré-seleção, pois eles são consequência dos valores agregados pela eficiência reprodutiva de seus ancestrais. A esperança se faz presente porque Nóbrega é descendente de famílias maternas que sobressaem por fazerem lactações expressivas e de de touros que são provados-melhoradores.

Irmão materno de 19 Fêmeas Top 10% para produção de leite, entre elas a 2ª e a 5ª colocadas no ranking das Fêmeas Jovens, Nóbrega FIV do Basa, Radar dos Poções x Honesta FIV do Basa (CA Sansão x Fábrica FIV de Brasília), apresenta inegável potencial genômico para acelerar o melhoramento do Gir Leiteiro.

Consistência genealógica para produção de leite não é tudo, mas é essencial

 

Dejanira FIV do Basa, bezerra que será ofertada no Leilão Fórmula BASA, é fruto do acasalamento de Lusitano do Basa com Liga FIV do Basa.

 

Lusitano do Basa, o pai de Dejanira, touro em Teste de Progênie, conquistou destaque por ter produzido fêmeas jovens Top 10% para Produção de Leite.

 

O pedigree de Lusitano do Basa, em termos de complementaridade, reveste o touro de um atributo que é fundamental: mãe e avó materna de alto desempenho produtivo. A mãe do Lusitano é Ibiuna FIV de Brasília - 10.000 kg de leite, GPTA de 366 kg - que é filha da Tática TE de Brasília -13.122 kg de leite, GPTA de 367 kg. A mãe e a avó do Lusitano são Top 10% para Produção de Leite.

 

Liga FIV do Basa, a mãe de Dejanira, está relacionada entre as fêmeas Top 10% para produção de leite. Ela fez lactação de 11.318 kg de leite e possui capacidade prevista de transmissão genomica (GPTA) de 451 kg.

Detentora de genealogia que se sobressai pela elevada consistência leiteira, Liga é filha da Harpada TE BJS, matriarca que apresenta GPTA de 336 kg e lactação de 7.700 kg de leite. A avó de Liga é Oficina de Brasília, doadora que fez lactação de 9.774 kg de leite.

 

O Leilão Fórmula BASA acontecerá no dia 19/3, quinta-feira, e quem tiver interesse poderá solicitar o catálogo e/ou informações sobre os lotes pelo telefone (12) 99620-2555.

Doce tem a excelência genética do Gir Leiteiro 

 

O crescimento do desempenho produtivo do Gir Leiteiro e a persistência da lactação são dois fatores que se intensificaram a partir do momento em que três progenitores – Bem Feitor Raposo, CA Everest e Radar dos Poções – passaram a ser empregados massivamente no trabalho de reprodução. Eles contribuíram para solidificar a consistência leiteira do rebanho nacional e seus descendentes estão na maioria dos currais que produzem leite no Brasil.

O DNA desses três extraordinários ancestrais sustenta o pedigree de Irama FIV Cal (9.129 kg de leite, A2A2, GPTA 210 kg), matriarca que acasalada com Fabuloso do Basa (Teatro da Silvania x Fafa FIV de Bras), gerou Doce FIV do Basa, bezerra que será ofertada no Leilão Fórmula Basa, dia 19 de março, com transmissão pelo Canal Terra Viva.

Fabuloso, pai da Doce FIV do Basa, conquistou destaque por ser aprovado pelo Teste de Progênie ABCGIL/Embrapa com PTA de 501 kg; por ser genotipado A2A2 e Beta-lactoglobulina (B-LGB) BB; e por ser pai de fêmeas jovens Top 10% para Produção de Leite.

Fórmula Basa:
Elite do Gir Leiteiro ao seu alcance num só lance


Na noite de 19 de março, quinta feira, uma novilha muito diferenciada será ofertada no Leilão Fórmula Basa.

Por que diferenciada? Porque possui os três atributos que referenciam a excelência de qualidade: 1) a avaliação genômica mostra que ela é Top 10% para produção de leite; 2) é descendente da principal família do Gir Leiteiro; 3) apresenta genealogia que remete a, no mínimo, três gerações de vacas de alto rendimento produtivo acasaladas com touros que foram aprovados pelo Teste de Progênie.

Trata-se de Badalada FIV do Basa, GPTA de 410 kg, rês que descende de três fêmeas Top 10% para Produção de Leite: Hedna do Basa, mãe, GPTA de 422 kg, Fábrica, avó, GPTA de 598 kg, e Tática, bisavó, GPTA 367 kg

 

Em termos de valorização, o lote é revestido de uma particularidade que faz diferença essencial: Badalada  FIV do Basa está gestando embrião que é fruto do acasalamento de Jaguar TE do Gavião com Gina FIV do Basa, filha da Fábrica, Top 10%, detentora da capacidade prevista de transmissão genomica (GPTA) de 497 kg. O parto está previsto para 31/05/2020.

A avaliação genômica, além de comprovar a consistência leiteira da família, ratifica as excepcionais qualidades das fêmeas produzidas por intermédio do acasalamento de Jaguar TE do Gavião com Gina FIV do Basa. Até  agora, Jaguar e Gina produziram nada menos que 7  Fêmeas Jovens classificadas como Top 10% para Produção de Leite:

01 - Barca FIV do Basa, GPTA .......... 621 kg
02 - Caravelas FIV do Basa, GPTA.... 558 kg
03 - Chilena FIV do Basa, GPTA ...... 508 kg
04 - Congonhas FIV do Basa, GPTA. 437 kg
05 - Alana FIV do Basa, GPTA........... 391 kg
06 - Chuvisca FIV do Basa, GPTA..... 363 kg
07 - Damiana FIV do Basa, GPTA ..... 358 kg

Na postagem que o Dr. Ivan Luz Ledic realizou no Facebook a respeito dos registros da raça Gir, o Gir Santa Cruz fez uma indagação de grande importância para todos os criadores de Gir Leiteiro. Tanto a pergunta do Gir Santa Cruz, quanto a resposta do presidente da ABCGIL, Evandro Guimaraes, merecem reprodução e divulgação de forma mais ampla, uma vez que retratam o grande interesse existente no fomento do Gir Leiteiro, o fortalecimento da ABCGIL e a constante preocupação do melhoramento genético.

Gir Santa Cruz: Hoje temos 60% menos registros de nascimentos em relação ao ano em que foi criada a ABCGIL? Qual o posicionamento da entidade frente a isto?

Evandro Guimaraes: Gir Santa Cruz, precisamos mesmo entender essa questão em todos seus aspectos e vamos contar com os Associados para levantarmos dados, problemas e oportunidades. Realmente precisamos dar uma inédita atenção à questão censitária. Seria simples atribuir a dificuldades pelas quais a Abcgil passou nos últimos anos, inclusive com uma intervenção judicial. Mas, é maior que isso.

Tivemos em períodos anteriores uma " bolha " no Gir Leiteiro, muitos animais foram multiplicados com menor expectativa e grande número de frustrações ocorreram com desempenhos produtivos. Ocorreu também uma interrupção no entusiasmo por aferições, uma redução do controle leiteiro oficial e do número de fazendas colaboradoras, afetando o teste de progenie. E grande parte de proprietários passou a chamar de Gir Leiteiro animais Gir sem registro e sem carcterísticas leiteiras. Parece ser onde estamos no polo passivo do que ocorreu e vamos estudar.

Mas, neste exato momento temos excepcionais notícias para a Raça. Os criadores que mantiveram sua paixão e seus investimentos no melhoramento do Gir Leiteiro estão muito mais confiantes. É comum hoje ver selecionadores voltados para o resultado do conjunto de seu plantel e não apenas por alguns indivíduos apenas. O genoma da Raça mostrou que os animais que compõem o TOP 10% pertencem a 99 criadores diferentes, o que é um grande alento para facilitar a decisão do que devemos multiplicar e o que não devemos.

Percebo que os criadores desenvolveram sua convicção de que o Gir Leiteiro precisa ser muito bom e não apenas bom. O passado deixou o Brasil em posição única: podemos iniciar uma aceleração na produção do Gir melhorado para leite pois temos e conhecemos exemplares necessários para a grande tarefa. Temos o Gir Leiteiro com qualidade e diversidade! Uma riqueza do Brasil, hoje procurada com atenção por dezenas de países MUITO importantes do mundo tropical. Destaco que a Índia nos últimos dois anos reconheceu no melhoramento já realizado qualidade genética ímpar com pureza racial.

Assim, devo dividir a ansiedade que a atual diretoria da ABCGIL tem, de retomar expressivamente a mobilização para o PNMGL incluindo o genoma, o aumento de literatura sobre a importância do Gir Leiteiro de alto rendimento, os ajustes que não foram possíveis durante o período de maior fragilidade da entidade. A ABCGIL já tem luz no fim do túnel, para reorganizar as finanças teremos um leilão dia 29 deste mês, um grande leilão com animais e prenhezes da cabeceira da Raça, organizado pela Diretoria de Marketing, Maria Teresa Kalil.

Será o primeiro grande leilão do Gir Leiteiro e conta com a generosidade de muitos Associados que compartilham a necessidade de uma ABCGIL FORTE . Além disso , para saldar nossas dívidas com encargos sociais, o que se fará nos próximos dois anos, já confirmamos 36 prenhezes de mães TOP 10% que nascerão no segundo semestre desse 2020. Um plantel excepcional, que vai crescer e se torna um importante ativo 100% da ABCGIL.

Olhando o passado vamos aprender mais para trabalhar nesse presente auspicioso para o grande futuro da Raça mais importante para a produtividade da pecuária leiteira em toda área tropical do mundo. Obrigado pela postagem colocando a questão.
Forte abraço.

A veterinária da USP e o Gir Leiteiro

Em um considerável avanço científico no sentido de acelerar o melhoramento genético e aumentar a produtividade de leite, as Fazendas do Basa apoiaram a Universidade de São Paulo, USP, nas pesquisas sobre "Estratégias para melhorar a produção in vitro de embriões de doadoras jovens da raça Gir (Bos indicus)", que resultaram na produção de embriões in vitro de alto valor genômico.

A produção in vitro de embriões (PIVE) e a transferência de embriões (TE) são importantes ferramentas de melhoramento genético dos rebanhos. Essas biotecnologias permitem que os indivíduos de genética superior, tanto de linhagem materna quanto paterna, sejam multiplicados em maior escala, contribuindo para acelerar o ganho genético dos rebanhos e para produzir animais cada vez melhores. Estudos científicos foram realizados para viabilizar a produção de embriões de doadoras jovens de elevado mérito genético, com a finalidade de diminuir o intervalo de gerações e acelerar o ganho genético e produtivo dos rebanhos.

As Fazendas do Basa, deram suporte e disponibilizaram seu rebanho à Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia da Universidade de São Paulo, FMVZ USP, na realização do projeto de pesquisa para avaliar e comparar a eficiência de bezerras, novilhas púberes e vacas na produção in vitro de embriões. O projeto constituiu a dissertação de mestrado da MSc. Flávia Morag Elliff, orientada pelo Professor Dr. Pietro Sampaio Baruselli.

O estudo realizado pela Universidade de São Paulo nas Fazendas do Basa indicou que doadoras jovens de alto valor genético podem ser incorporadas como doadoras nos programas de melhoramento genético, com os cuidados previstos no Protocolo seguido pela equipe que realizou este importante trabalho para o Gir Leiteiro.

Leilão Fórmula Basa 

 

Oportunidade de um investimento certeiro para quem se preocupa com o futuro da seleção

 

A produtividade do Gir Leiteiro está lastreada em animais que, além de ostentar evidente tipo leiteiro, se distinguem por apresentar em sua genealogia uma sólida base fincada na consistência leiteira.

No Leilão Fórmula Basa, evento que acontecerá no dia 19 de março, com transmissão pelo Canal Terra Viva, será ofertada uma novilha que se sobressai em virtude do fenótipo leiteiro e do vigor de seu pedigree. Trata-se de Bacaja FIV do Basa, filha de Diamante TE de Brasília e Fantástica do Basa, detentora da GPTA de 326 kg e cabeceira entre as fêmeas classificadas como Top 20% para Produção de Leite.

tos.

Bacaja FIV do Basa é neta de duas matriarcas que se notabilizaram por gerar descendentes de grande produtividade: Luzíada de Brasília e Soja de Brasília. Esta consistência genealógica é fortalecida por Meteoro de Brasília, avô paterno, e é afiançada por CA Sansão, avô materno.

Em termos de complementaridade de valorização, o lote é revestido de uma particularidade que faz diferença essencial: Bacaja FIV do Basa está gestando embrião que é fruto do acasalamento de Ananda FIV do Basa, GPTA 428 kg, com Jaguar TE do Gavião.

Ananda FIV do Basa é Top 10% para Produção de Leite, da mesma forma que sua mãe, Fábrica, formadora da melhor família do Sumário Brasileiro de Fêmeas, seguindo a trilha da bisavó, Tática, que, além de Top 10% para Produção de Leite, é criadora da dinastia de fêmeas que aprimorou o Gir Leiteiro.

Forma (tipo leiteiro) e conteúdo (genética de excelência) – binômio que constitui o slogan do Leilão Fórmula Basa – tornam evidentes e garantem os melhores investimentos.

O Gir Leiteiro e a desigualdade no Brasil 

Nesses últimos dias uma enorme quantidade de textos e artigos nos grandes jornais (Folha, Estado, O Globo, Valor) aborda a necessidade de combater a desigualdade no nosso país, inclusive como uma forma de dar escala e consistência ao desenvolvimento econômico. 

Nas 3 últimas décadas, vimos políticas de combate à desigualdade ora eficientes por curto prazo, ora insustentáveis para a lógica do mercado. 

Quem se lembra do plano Cruzado? quem se lembra dos programas sociais puramente assistenciais? quem se lembra do aumento do consumo por tentativas de correção de rendas sem correspondente aumento da produtividade? 

Muito bem, sem aumento da produtividade, o crescimento e desenvolvimento econômico da Nação são ilusórios. 

Mas, todos e cada um pode fazer no seu setor, algo pela produtividade, algo que atenda ao maior número possível de empregadores empreendedores, mesmo pequenos. Ou seja podemos  agir para aumentar a produtividade sem reduzir emprego e renda de milhões de famílias com a histeria da robotização. 

Eu me sinto contente em perceber com serenidade que trabalho na direção do combate à desigualdade, na democratização de ferramentas de melhoria da produtividade. Eu crio Gir Leiteiro!!! gado de alto mérito genético, a mais importante ferramenta na pecuária tropical para preservação de empreendedores rurais produtores de leite.

É muito óbvio: quando atingirmos velocidade na multiplicação de fêmeas Gir muito melhoradas para leite, com aferições objetivas e, ampliarmos muito a população desses animais superiores na predição de produção para leite,  centenas de MILHARES de produtores rurais de nível médio e pequeno poderão manter sua atividade. 

Não sou louco de achar que genética MUITO superior é tudo, mas tenho  total convicção de que é ESSENCIAL. Tudo que se puder fazer na extensão rural quanto à sanidade, manejo,  estabilidade de preços, gestão, ativismo para exportação, irrigação, seguros, variedades vegetais, tecnologia, formação de mão de obra, energia elétrica, estradas vicinais, etc etc é também deveras importante. 

Mas, para uma revolução de produtividade, para uma  grande redução da desigualdade, genética é O FATOR, é o ponto crítico, é o MULTIPLICADOR. 

Lamento a baixa percepção do mecanismo inovador a partir da aceleração de MUITA melhoria genética na raça Gir Leiteiro. Fico admirado como, por desconhecimento ou por limitações intelectuais, muitos planos públicos de diversos níveis não colocam a relevância da genética no lugar necessário, no podium. 

O melhoramento do Gir Leiteiro que é feito desde 35 anos pela ABCGIL/EMBRAPA Gado de Leite, é talvez a mais expressiva parceria público/privada que o Brasil conhece (ou desconhece). 

No futuro, quando estudos  e bom senso de historiadores ou analistas de micro economia observarem a manutenção e talvez o crescimento horizontal da atividade primária da produção de leite, o Gir Leiteiro excepcional terá seus créditos. Aposto nisso.

Todos tem direito a ter grandes animais F1, meio-sangue girolando, advindos de vacas Gir muito, muito melhoradas para leite. Todos tem direito!!! devem poder amar seus animais leiteiros muito rústicos e produtivos e, com consequência dar maior atenção a sanidade e nutrição, por exemplo. 

O Gir Leiteiro de alto mérito genético (não serve o bom, tem que ser o muito bom!) é desejado pelo menos por 100 diferentes países no mundo tropical. 

Para combater a desigualdade o Brasil os políticos e agentes públicos sérios  precisam  estudar, conhecer, raciocinar. Precisam  se apaixonar com a óbvia solução que é o Gir Leiteiro de alto rendimento. 

Criar Gir leiteiro superior para leite é Cívico. E patriótico.

Vídeo: Humanizada FIV do Basa

Nas Fazendas do Basa, a Casa das Grandes Mães, a excelência genética do rebanho contribuiu para que as netas também atingissem o status de 'Grandes'.
Além do Basa, novilha que será ofertada no Leilão Fórmula Basa, é uma das 'Grandes Netas', já que é positiva na capacidade prevista de transmissão genômica (GPTA) para produção de leite, seguindo a mãe e a avó. Além do Basa, GPTA 153 kg, é filha da Humanizada FIV do Basa, GPTA 347 kg - 11.176 kg de leite; e neta de Estrada TE, GPTA 278 kg - 10.195 kg de leite.
O vigor genético e a consistência leiteira da genealogia de Além do Basa remetem à FB Nostalgia, 8.708 kg de leite, bisavó; e a FB Heliografia, 9.087 kg de leite, trisavó.

O Leilão Fórmula Basa acontecerá no dia 19/3 com transmissão pelo Canal Terra Viva. Quem tiver interesse poderá acompanhar as informações sobre o leilão nesse hotsite e solicitar o catálogo e/ou informações sobre os lotes do pregão pelo telefone (12) 9.9620-2555.

Fenótipo e Genótipo

A teoria da evolução de Charles Darwin (1809-1882) e Alfred Russel Wallace (1823-1913) e os resultados das pesquisas sobre genética de Gregor Johann Mendel (1822-1884) se complementam.
Darwin e Wallace teorizaram sobre Forma, enquanto Mendel conceituou Conteúdo.
Forma (fenótipo) e Conteúdo (genótipo) é o slogan da Fórmula Basa para intensificar a produção de leite em áreas tropicais, porque tipo leiteiro é fundamental, e genealogia com consistência para grande produção de leite é essencial.

Acompanhem as informações sobre o Leilão Fórmula BASA

Nivia FIV F Mutum, Top 10% para Produção de Leite, será ofertada no Leilão Fórmula Basa

 

O status de rês superior sobressai em Nivia FIV F Mutum, posto que a excelência do fenótipo, além de retratar o grande potencial para produção de leite desenvolvido por intermédio de seu vigor genealógico, valoriza o notável resultado que ela obteve na avaliação genômica. Nivia FIV F Mutum é detentora de forma e conteúdo, slogan que sintetiza a "Fórmula Basa" para produção de animais superiores.

Nivia FIV F Mutum é Fêmea Adulta Top 10% para Produção de Leite, com GPTA de 465 kg e lactação de 10.137 kg; seguindo a mãe, Fécula TE F  Mutum,  também Top 10% para Produção de Leite, com GPTA de 444 kg e lactação de 16.618 kg. 

Esses números são reflexos da preponderância genética herdada da matriarca Palma F Mutum (Teatro da Silvania x Tutela 3R B. Monte) 9.111 kg de leite, avó materna da  Nivia FIV F Mutum.

 

O Leilão Fórmula Basa acontecerá no dia 19/3 com transmissão pelo Canal Terra Viva. Quem tiver interesse poderá solicitar o catálogo e/ou informações sobre os lotes do pregão pelo telefone (12) 9.9620-2555.

A pluralidade genealógica do rebanho é fator fundamental para progresso da evolução produtiva

Embora os Sumários de Touros e de Fêmeas evidenciem quais são as principais famílias do Gir Leiteiro, as tesselas do mosaico mostram que o progresso do desempenho produtivo tem a sua evolução alicerçada em diversidade genética e animais de famílias com consistência para grande lactação.
Figura FIV Basa Pantanal (Jaguar TE do Gavião x Decoração FIV BRT), que está relacionada entre as Top 10% para Produção de Leite, com 503 kg de GPTA,  exemplifica a afirmação. Ela é neta materna de Quindim TE da Cal (Dalton x Certeza Raposo Cal).

A árvore genealógica de Figura FIV Basa Pantanal ganha mais relevância quando constatamos que ela está aberta para acasalamentos com os principais padreadores aprovados pelo Teste de Progênie, excetuando Jaguar TE do Gavião, que é seu pai, e CA Sansão, que é seu avô materno. Este fato oferece grandes perspectivas para que suas descendentes à superem na capacidade prevista de transmissão genômica (GPTA) para produção de leite.

Figura FIV Basa Pantanal será ofertada no Leilão Fórmula Basa. O evento acontecerá no dia 19/3, com transmissão pelo Canal Terra Viva.

Na fotografia, Decoração FIV BRT, mãe da Figura FIV Basa Pantanal.

O Teste São Tomé movimentou o parque de exposições de Leopoldina (MG), nos dias 13 e 14 de março. O evento, que atraiu os produtores de leite interessados em conhecer o potencial produtivo e reprodutivo do Gir Leiteiro de excelência genética, teve como um dos destaques Pedreira FIV Kubera (Jaguar TE do Gavião x Filipina TE Kubera). 

 

Em lactação aferida oficialmente, Pedreira produziu 10.382 kg de leite em 365 dias, média de 28,44 kg de leite/dia.

No Teste São Tomé, ela repetiu o feito: anteontem, primeiro dia de ordenha e pesagem pública, em três ordenhas, Pedreira produziu 27,6 kg de leite. Ontem, mais acostumada com a presença do público, nas três ordenhas realizadas, ela produziu 32 kg de leite, média diária de 29,8 kg de leite.

Quem tem o propósito de ter uma rês com a consistência genealógica e o potencial produtivo da Pedreira, poderá realizar a intenção no Leilão Fórmula Basa, remate em que será comercializada Cuiabá FIV do Basa (CA Sansão x Pedreira FIV Kubera).

 

O leilão acontecerá na próxima quinta feira, dia 19/3, com transmissão pelo Canal Terra Viva. Para maiores informações sobre o pregão basta acessar o link www.fazendasdobasa.com/formulabasa.

@ 2020