ZznFull-1516.jpg
 

As Fazendas do Basa, a “Casa das Grandes Mães”, é depositária de animais que representam o melhor da variabilidade genealógica e da consistência leiteira que vem sendo construída há quase 100 anos e, consequentemente, constitui uma profissão de fé na Tradição [em melhoramento da] Genética.

 

Debby FIV do Basa (Lusitano do Basa x Myrcia FIV do Basa), bezerra que compõe o lote 30 do Leilão Tradição Genética, demonstra a pujança do melhoramento genético: 1) na linha materna ela compõe a quinta geração de fêmeas classificadas como Top 10% para Produção de Leite e sua consistência genealógica para produção de leite remete a Tática TE de Brasília e Modelo TE de Brasília, que são, ao mesmo tempo, bisavós paternos e trisavós maternos; 2) a bisavó materna, Fábrica FIV de Brasília, e avó paterna, Ibiúna FIV de Brasília, são irmãs completas e destaques absolutos do Sumário de Fêmeas; 3) o pedigree é sustentando por Jaguar TE do Gavião e CA Sansão, touros que são protagonistas do Sumário de Fêmeas, e Supra-Sumo de Brasília, “indutor do refrescamento de sangue”

 

Apesar da pouca idade, somente nas Fazendas do Basa, acasalado com 8 vacas diferentes, o jovem Lusitano gerou 14 filhas avaliadas como detentoras de GPTAs maiores que 357 kg. As fêmeas jovens e adultas que detêm GPTAs de 357 kg ocupam as últimas posições nos dois rankings do Sumário Brasileiro de Fêmeas 2019. Debby FIV do Basa é detentora da GPTA de 606 kg.

Dara FIV do Basa, filha de uma das matriarcas que mais se destacam na atualidade: Honesta FIV do Basa.

Apesar de todo o rebanho Gir Leiteiro originar basicamente de nove touros, a essência da Tradição [em melhoramento da] Genética, é apoiada nas matriarcas que são capazes de produzir descendentes com excelência genética para a produção de leite e que têm o dom de transmiti-la para as gerações futuras. “No gado de leite, a seleção se faz através das grandes mães, que geram grandes filhas e são avós de grandes netas, formando família em constante evolução, com o mais nova, na maioria das vezes, superando a mais velha.” 

Honesta FIV do Basa (Fábrica FIV de Brasília, 598 kg de GPTA), descendente de uma linhagem de exceção, tornou-se uma formadora de Família e uma das matriarcas que mais se destacam na atualidade. Ela é mãe de 19 Fêmeas classificadas como Top 10% para produção de leite, entre elas a 2ª (Babaculândia FIV do Basa, 808 kg de GPTA) e a 5ª (Blogueira FIV do Basa, 751 kg de GPTA) colocadas no ranking das Fêmeas Jovens/2019.

Diga FIV do Basa, bezerra que na 1ª Etapa da Avaliação Genômica 2020 apresentou 864 kg de GPTA, também é filha da Honesta FIV do Basa, que detém 572 kg de GPTA.

Quem tiver interesse em agregar a seu rebanho a excelência genética transmitida pela Honesta tem uma grande oportunidade no próximo dia 10 de setembro, no LEILÃO TRADIÇÃO GENÉTICA, que acontecerá às 120:30 horas, com transmissão pelo Canal Terra Viva. Trata-se de Dara FIV do Basa, detentora da GPTA de 466 kg. Além de ser filha da Honesta FIV do Basa e representar a 4ª Geração de Fêmeas Top 10% para Produção de Leite, Dara é filha e neta dos dois touros que dominam o Sumário Brasileiro de Fêmeas: Jaguar TE do Gavião, o pai, e CA Sansão, o avô.

Tradição Genética resulta em currais coloridos e baldes cheios de leite

 

O crescimento do desempenho produtivo do Gir Leiteiro e a persistência da lactação são dois fatores que se intensificaram a partir do momento em que quatro progenitores – CA Sansão, Radar dos Poções,Bem Feitor Raposo, e Teatro da Silvania – passaram a ser empregados massivamente no trabalho de reprodução. Eles contribuíram para solidificar a consistência leiteira do rebanho nacional e seus descendentes estão na maioria dos currais que produzem leite no Brasil.

Em complementariedade, a genética desses quatro extraordinários ancestrais sustenta o pedigree de Naldira FIV do Basa (4.514 kg de leite, em 113 dias, lactação aberta), doadora que apresenta evidente tipo leiteiro e excelente sistema mamário. 

Naldira - descendente de quatro matriarcas que fizeram grandes lactações: Ilda FIV F Mutum (9.303 kg de leite), Deliciosa F Mutum (10.063 kg de leite), Palma F Mutum (9.111 kg de leite), Tutela 3R B Monte (5.717 kg de leite) - compõe o lote 26 do LEILÃO TRADIÇÃO GENÉTICA, evento que acontecerá no dia 10 de setembro, às 20:30 horas, com transmissão pelo Canal Terra Viva.

Supremacia Genômica e aristocracia genealógica: Bélgica FIV do Basa 

 

O nome de Bélgica FIV do Basa (CA Sansão x Ibiúna FIV de Brasília) está relacionado no Sumário Brasileiro de Fêmeas 2019, consequentemente ela ostenta o status de Top 10% para Produção de Leite, seguindo a trilha da mãe e da avó, que são igualmente Top 10%. Isso contribui para configurar a aristocracia da sua genealógica.

 

Ter o nome relacionado no Sumário de Fêmeas é um sinal de prestígio. Entretanto, se os nomes da mãe e da avó também estiverem relacionados no mesmo documento, o prestígio é elevado ao grau que somente pode ser ostentado por animais pertencentes às dinastias que se consagraram através da supremacia genômica e da permanente evolução produtiva de seus membros.

 

Componente do lote 27 do Leilão Tradição Genética, Bélgica está prenhe de Camargo FIV do Basa (Jaguar Te do Gavião x Insensata FIV do Basa), acasalamento que privilegia a consanguinidade de CA Sansão e Tática TE de Brasília.

Estrela de 1ª Grandeza, Demasiada FIV do Basa é detentora da maior GPTA do Leilão Tradição Genética

 

Após a divulgação da avaliação genômica, as fêmeas Gir Leiteiro do rebanho nacional passaram a ser estratificadas a partir de suas capacidades preditas de transmissão genômica (GPTA, do inglês Genomic Predicted Transmitting Ability). No topo da pirâmide, que é formada por 10 camadas superpostas, estão relacionadas as fêmeas de maior GPTA. Elas representam 10% do total de fêmeas avaliadas, e são, por isso, classificadas como Top 10% para Produção de Leite. Com status de ‘Supremas’, as Top 10% têm GPTA acima de 356 kg de leite.

 

Para iniciarmos um raciocínio, se tomarmos como base os valores genômicos das 662 Fêmeas Jovens relacionadas no Sumário Brasileiro de Fêmeas 2019, podemos classificar Demasiada FIV do Basa (CA Sansão x Ferina FIV do Basa), detentora da GPTA de 699 kg, como Top 1% para Produção de Leite. Ser Top 1% é um superlativo em si, é o superlativo dos superlativos da avaliação genômica, da preponderância genética e do melhoramento.

 

Demasiada FIV do Basa é filha de CA Sansão e neta materna de Jaguar TE do Gavião. Não é à toa que os dois dominam o Sumário de Fêmeas, como pais e/ou avós. Mas esse formato de acasalamento não tem nada de novo, é antigo. Já se tornou uma Tradição Genética, e a base genealógica da Demasiada FIV do Basa ratifica o axioma, demonstra que existem outras variabilidades genéticas

e grande consistência leiteira que podem, devem e estão contribuindo para o melhoramento do Gir Leiteiro, o que abre uma nova janela para contemplarmos a amplitude do horizonte genético.

POR ENQUANTO, DINALVA SÓ ESTÁ INSCRITA NO LEILÃO TRADIÇÃO GENÉTICA

 

Numa relação de 1.185 fêmeas, jovens e adultas, classificadas como Top 10% para Produção de Leite divulgada pelo Sumário Brasileiro de Fêmeas 2019, 66,92% são filhas de Jaguar TE do Gavião (429) e de CA Sansão (364). Dessas fêmeas de qualidade diferenciada,13,84% são descendentes da Fábrica FIV de Brasília (23 filhas jovens, 29 filhas adultas, 108 netas jovens, 2 netas adultas e 2 bisnetas jovens). 

 

Apesar de ter a avaliação de 496 kg para GPTA, e 357 kg ser o valor mínimo no Sumário das Top 10%; de ser filha do Jaguar TE do Gavião, neta materna do CA Sansão e da Fábrica FIV de Brasília;  Dinalva FiV do Basa não está inscrita na relação de descendentes Top 10% do trio, uma vez que a sua avaliação genômica ocorreu na 1ª Etapa de 2020, e o Sumário foi publicado em 2019. Por enquanto, Dinalva só está inscrita no Leilão Tradição Genética, onde compõe o lote 31.

 

Dinalva (Jaguar TE do Gavião x Forcada FIV do Basa, 447 kg de GPTA e lactação de 10.672 kg de leite) é irmã completa de 10 fêmeas (nove jovens e uma adulta) relacionadas como Top 10% para Produção de Leite no Sumário 2019. Myrcia FIV do Basa, a irmã adulta, com GPTA de 529 kg e lactação de 11.763 kg de leite, superou a mãe em termos de valor genômico e desempenho produtivo.

Dinalva também é irmã completa de Camboriú FIV do Basa, touro jovem que foi provado nos rigorosos testes aplicados na prova de pré-seleção para ingressar no Teste de Progênie ABCGIL/Embrapa Gado de Leite. A prova de pré-seleção do Grupo 35 contou com a participação inicial de 434 machos pertencentes a 68 criadores, resultando na aprovação de 31 garrotes e na classificação de 27 para participar do Teste de Progênie. 

No ano passado, apesar dos 56 animais do nosso rebanho estarem relacionados entre as 523 Fêmeas Adultas, o nosso contentamento foi motivado pelos 209 animais com a griffe Basa relacionados entre as 662 Fêmeas Jovens ranqueadas como Top 10% para Produção de Leite, uma vez que o melhoramento se manifesta quando a geração mais nova supera a mais velha nas avaliações. Dentre as 10 primeiras colocadas, 6 são Basa; entre as 25 primeiras colocadas, 15 são Basa, ou seja, mais de 50% da elite Top Young do Gir Leiteiro.

 

Entre os animais com a griffe Basa classificados com Top 10% no Sumário Brasileiro de Fêmeas 2019, estão 14 filhas da Nilmara FIV do Basa (CA Sansão x Fábrica FIV de Brasília). Com 386 kg de GPTA, Bibiana FIV do Basa é um desses animais. 

 

Bibiana FIV do Basa, novilha que compõe o lote 28 do Leilão Tradição Genética, representa a 4ª geração de Fêmeas Top 10% da família mais consagrada do Gir Leiteiro, pois segue a trilha da mãe, Nilmara, da avó, Fábrica, da bisavó, Tática. Em Bibiana, o potencial genético para grande produção de leite é fortalecido pelo pai, Jaguar TE do Gavião, o avõ, CA Sansão, e o bisavó, Modelo TE de Brasília. 

 

Neste momento, um dos destaques do nosso rebanho, até que sejam

divulgados os resultados da 2ª etapa da avaliação genômica 2020, é uma irmã da Bibiana: Espinosa FIV do Basa, avaliada como detentora de 824 kg de GPTA. 

 

Em termos de valor genômico, com esse resultado, a irmã da Bibiana ultrapassou suas irmãs paternas, que são, oficialmente, detentoras das três maiores GPTAs da raça: Otília FIV do Basa - 815 kg (Insensata FIV do Basa), Babaculândia - 808 kg (Honesta FIV do Basa) e Bagé FIV do Basa - 802 kg (Gregória FIV do Basa).

 

Para finalizar, Bibiana FIV do Basa está prenhe do Gengis Khan de Brasília, reprodutor que ocupa a 1ª posição no ranking do Sumário Brasileiro de Touros, 923 kg de PTA, com previsão de parto para 1/11/2020. A "forma (tipo leiteiro) e conteúdo (genética de excelência)" – binômio que constitui um dos slogans das Fazendas do Basa – tornam evidente e garantem que Bibiana é um dos melhores investimentos que o selecionador de Gir Leiteiro pode fazer neste momento

@ 2020