(32) 3441-6001
 
Para informações exclusivas entre em contato pelo formulário abaixo:
dafine_sob.jpg

Fatos & Números – Sob a Luz da Genômica

As Fazendas do Basa lideram o Sumário Brasileiro de Fêmeas 2019, apresentando o maior número de Fêmeas Adultas e de Fêmeas Jovens listadas como Top 10% para Produção de Leite.

Porém, a griffe Basa de destaca mesmo é com os 209 animais relacionados entre as 662 Fêmeas Jovens ranqueadas como Top 10% para Produção de Leite, apesar dos 56 animais do rebanho leopoldinense relacionados entre as 523 Fêmeas Adultas, uma vez que o melhoramento se manifesta quando a geração mais nova supera a mais velha nas avaliações.
Esse melhoramento é ressaltado pela relação das Fêmeas Jovens. Primeiro, porque a quantidade de animais – 662, frente a 523 – é maior; depois, e principalmente, porque o trio que lidera o ranking apresenta as maiores GPTAs da raça. 

Para finalizar, na 2ª Avaliação Genômica de Fêmeas Jovens, dentre as 10 primeiras colocadas, 6 são Basa; entre as 25 primeiras colocadas, 15 são Basa, ou seja, mais de 50% da elite Top Young do Gir Leiteiro.

(Forcada FIV do Basa, GPTA 447 kg, mãe de 9 Fêmeas Jovens e 1 Fêmea Adulta ranqueadas como Top 10% para Produção de Leite)

Candeal FIV do Basa, uma neta da Fábrica FIV de Brasília, será a Superstar do Leilão Sob a Luz da Genômica

 

Relacionada na parte superior do estrato das Fêmeas Jovens Top 10% para Produção de Leite, Candeal FIV do Basa, com GPTA de 442 kg, teminquestionável potencial genômico. Ela é uma das grandes representantes da quarta geração da maior dinastia de Fêmeas Gir Leiteiro Top 10%, visto que é filha da Forcada FIV do Basa, portanto é neta da Fábrica FIV de Brasília e bisneta da Tática TE de Brasília.

 

Nesta dinastia matriarcal, o papel de consortes é desempenhado por três touros que são sinônimos de elevada produtividade: Jaguar TE do Gavião, pai; CA Sansão, avô materno; e Modelo TE de Brasília, bisavô materno.

Cortina FIV do Basa, Top 10% para Produção de Leite, com GPTA de 365 kg, resplandece Sob a Luz da Genômica 

Há pedigrees que justificam – com os nomes que trazem estampados – o grande desempenho produtivo realizado nos currais e o elevado potencial genômico aferido pela ciência. Esse é um dos conceitos de consistência genealógica para produção de leite e uma das formas de explicar a preponderância genética das vacas que criam linhagens e são formadoras de famílias.

 

Cortina FIV do Basa (Lusitano do Basa x Marjory FIV do Basa) possui consistência genealogia notável: é filha, neta materna e paterna, bisneta e trineta de reses que se notabilizaram por serem Tops 10% para Produção de Leite. Além disso, ela é ‘consanguínea’ da Tática TE de Brasília, de quem é neta paterna e trineta materna.

Babel FIV do Basa, com GPTA de 220 kg, tem inquestionável potencial genômico. Ela é uma das representantes da terceira geração da maior dinastia de Fêmeas Gir Leiteiro, visto que é filha da Ibiúna FIV de Brasília e neta da Tática TE de Brasília.
 
O pedigree da Babel FIV do Basa mostra consistência genealógica para grande produção leiteira e qualidade de úbere, pois ela descende de dois touros que são referências desses atributos : CA Sansão, pai; e Modelo TE de Brasília, avô materno. Babel está apta para ser acasalada com os principais touros melhoradores do Gir Leiteiro, entre eles Jaguar TE do Gavião, e o seu potencial genômico avaliza a capacidade de produzir filhas que poderão destacar nas próximas edições do Sumário Brasileiro de Fêmeas.

O acasalamento consanguíneo dos melhores animais da raça era a ferramenta usada pelos antigos selecionadores para fixar características desejáveis, lapidar o fenótipo e elevar o desempenho produtivo do rebanho. Recentemente, essa tradicional engenharia genética foi aplicada com sucesso na realização do acasalamento que originou Carmópolis FIV do Basa, GPTA 319 kg (CA Sansão x Batalha FZD LUMI, GPTA 275 kg), rês que ostenta o status da Família Nefrita.

Sob a Luz da Genômica, a evolução está evidenciada em Carmópolis FIV do Basa,, primeiro porque ela apresenta GPTA superior ao da mãe; depois, porque a lapidação do fenótipo que está expressada na angulosidade de suas formas valoriza o tipo leiteiro. E, para finalizar, porque a consanguinidade de CA Sansão – pai-bisavô – gera perspectiva de elevação do desempenho produtivo, enquanto a expectativa de excelência na unidade produtiva – úbere moderno e funcional – é atribuída ao fato de ela ser neta materna do Modelo TE de Brasília.

Sob a Luz da Genômica, a adição de variabilidade genética à consistência genealógica das famílias de grande produção leiteira ganhou mais importância.

 

Serve de exemplo, para ratificar a afirmação, o resultado da avaliação genômica de Batistina FIV do Basa (Tabu TE Cal x Henele FIV de Brasília, 9.638 kg de leite), que apresentou o expressivo GPTA de 287 kg. Seu pedigree foi construído através da soma de Radar dos Poções, CA Sansão, Juliana Cal (12.480 kg de leite) e Luzíada de Brasília(15.652 kg de leite). Ressaltando que Luzíada é uma das principais famílias da raça.

Chuvisca FIV do Basa, uma Top 10% filha da Gina e neta da Fábrica

 

A avaliação genômica de fêmeas, moderna ferramenta empregada na seleção do gado de leite, foi adotada pelos criadores do GIr Leiteiro com o propósito de agilizar o melhoramento dos rebanhos, diminuindo o intervalo entre gerações.

Ao separar o joio do trigo, essa avaliação revela quais são as grandes matriarcas da raça, indicando as que têm potencial genômico para produzir gerações de fêmeas classificadas como Top 10% para produção de leite.

 

Fábrica FIV de Brasília é uma das matriarcas que a avaliação genômica revelou como suprema porque, por intermédio da enorme quantidade de filhas, netas e bisnetas classificadas como Top 10% para produção de leite, criou a dinastia que é destaque do Sumário Brasileiro de Fêmeas 2019.

 

O Leilão Sob a Luz da Genômica vai ofertar umadescendente da Fábrica, Chuvisca FIV do Basa, GPTA 373 kg (Jaguar TE do Gavião x Gina FIV do Basa, GPTA 497 kg), Top 10% para produção de leite, seguindo a mãe, a avó e a bisavó.

O trabalho de melhoramento do Gir Leiteiro teve início com a epopeia dos pioneiros e chegou àatualidade com o apoio da pesquisa científica, notadamente com o trabalho dos pesquisadores da Embrapa Gado de Leite. Foram eles que edificaram as bases para que o nosso gado se tornasse reconhecido mundialmente como o redentor da pecuária leiteira tropical.

 

Claro que esse momento de glória nos traz imensocontentamento, mas o Gir Leiteiro não pode tornar-se, entrementes, vítima de seu grande sucesso. Se quisermos que no futuro a raça continue a demonstrar evolução na magnitude de sua produtividade, é imperioso que estejamos atentos ao parentesco médio das fêmeas que foram submetidas a avaliação genômica para produção de leite. 

 

O sinal de alerta já foi dado pelo melhorista Byron Ladeira. Ele sinalizou ao presidente da ABCGIL, Evandro Guimarães, reconhecidamente umentusiasta do melhoramento da raça e detentor de ótica vanguardista, que é urgente a necessidade de seincluir no Sumário Brasileiro de Fêmeas informação a respeito do parentesco médio, haja vista que ela é imprescindível para evitar o surgimento de contratempos em consequência da endogamia.

Porém, até que a diretoria da ABCGIL, a Superintendência Técnica, e os pesquisadores da Embrapa Gado de Leite possam discutir o assunto, os selecionadores focados no melhoramento conseguem encontrar no mercado fêmeas com baixo grau de parentesco médio e grande potencial genômico para contribuir, tanto no aumento da variabilidade genética quanto da produção de leite do rebanho. 

 

Uma dessas fêmeas será comercializada no Leilão Sob a Luz da Genômica, evento que acontecerá no dia 31/10, às 20:30 h, com transmissão pelo Canal Terra Viva. Trata-se de Caverna FIV do Basa (Lusitano do Basa x Maia FIV do Basa), com GPTA de 259 kg, rês que na linha paterna descende de duas fêmeas Top 10% para produção de leite: Ibiúna, avó, com GPTA de 366 kg, e Tática, bisavó, com GPTA de 367 kg. Na linha materna, é descendente de Maia FIV do Basa, mãe,  igualmente Top 10%, com GPTA de 461 kg.

 

Além do inegável tipo leiteiro e da substancial consistência genealógica para produção de leite, Caverna FIV do Basa é originária de  Supra-Sumo de Brasília, avô paterno, e de Radar dos Poções e Veneza Cal (Pati da Cal x Zoobia Triunfo), bisavós maternos, genearcas que potencializam a diminuição do parentesco médio.

 

Este é o momento de quem se preocupa com o futuro fazer investimento certeiro e, Sob a Luz da Genômica, os melhores investimentos ficam mais evidentes.a

Aguardada pelos espectadores, que às vezes desdenham de seus desacertos, a previsão do tempo é uma tradição nos noticiários de TV. Contudo, independente de qual seja o vaticínio meteorológico, ou as previsões de variação do tempo, não haverá erro: a noite de 31 de outubro de 2019 terá o brilho das estrelas, será estrelada, repleta de estrelas.

É óbvio que não estamos falando sobre o brilho dos astros siderais, e sim das fêmeas Gir Leiteiro que, Sob a Luz da Genômica, refletem o grande potencial genômico para produção de leite desenvolvido por intermédio de seu vigor genealógico.

 

Algumas das mais destacadas dessas fêmeas, com o status e a luminosidade de estrelas da raça, serão ofertadas na noite do dia 31/10, às 20:30 h, com transmissão pelo Canal Terra Viva.

 

Uma das integrantes da constelação que será levada a pregão é Cipotânea FIV do Basa, GPTA 525 kg (Jaguar TE do Gavião x Nilmara FIV do Basa, GPTA 527 kg). Além de ser neta da Fábrica, ela é uma das 14 filhas da Nilmara FIV do Basa que estão posicionadas no estrato superior da galáxia das Fêmeas Jovens Top 10% para produção de leite. 

Barrolândia FIV do Basa é uma Top 10% que ostenta o status de diva

 

Barrolândia FIV do Basa, GPTA 595 kg (Jaguar TE do Gavião x Gregória FIV do Basa, GPTA 537 kg), é uma das divas que serão levadas a pregão no Leilão Sob a Luz da Genômica. Além de ser neta da Fábrica, ela é uma das 8 filhas da Gregória FIV do Basa que estão posicionadas no patamar superior das Fêmeas Jovens Top 10% para produção de leite. 

 

Top 10%, seguindo a irmã, Bagé FIV do Basa, terceira maior GPTA da raça, 802 kg, a mãe, a avó e a bisavó, que são destaques absolutos do Sumário Brasileiro de Fêmeas 2019 – Barrolândia FIV do Basa é depositária dos atributos que tornaram o Gir Leiteiro reconhecido mundialmente como o redentor da pecuária leiteira tropical.

Babaculândia FIV Basa, detentora da segunda maior GPTA da raça, é destaque absoluto do Leilão Sob a Luz da Genômica

Existem vários motivos, todos grandiosos, para exaltarmos a supremacia genômica de Babaculândia FIV do Basa (Jaguar TE do Gavião x Honesta FIV do Basa, GPTA 572 kg), entre eles podemos ressaltar:
- ela apresenta a 2ª maior GPTA da raça, 802 kg; é filha da Honesta FIV do Basa; é neta da Fábrica FIV de Brasília; é bisneta da Tática TE de Brasília; é irmã completa de 18 fêmeas Top 10% para produção de leite, dentre elas a 5ª colocada no ranking das Fêmeas Jovens.

A avaliação genômica, além de comprovar a consistência leiteira da dinastia, ratifica as excepcionais qualidades de Babaculândia FIV do Basa.

A Avaliação Genômica de Fêmeas Jovens e Adultas já mostrou que não veio por acaso. Chegou para ficar, entre outros motivos, por trazer, com base em dados científicos, informações necessárias para inferir por que algumas vacas se destacam pela grande produtividade, bem como para ajudar a entender o motivo pelo qual somente algumas delas vão além e se destacam também como formadoras de famílias.

 

Com a divulgação das habilidades preditas de transmissão genômica (GPTAs) de fêmeas jovens e adultas para produção de leite, o teto ficou mais distante e cresceram as oportunidades para acelerar o processo de evolução do desempenho produtivo das vacas, pois a Avaliação Genômica das fêmeas e o Teste de Progênie dos touros se complementam como ferramentas de trabalho e servirão para endossar as ações pragmáticas que serão executadas pelos selecionadores comprometidos com o procedimento.

 

Dentre os selecionadores focados no melhoramento, existem os visionários que já estão manifestando preocupação em relação ao parentesco médio das fêmeas que tiveram avaliação positiva para produção de leite.

Para os selecionadores que estão à frente de seu tempo, o Leilão Sob a Luz da Genômica vai ofertar Cartilha FIV do Basa (Lusitano do Basa x Excelente do Basa), com GPTA de 168 kg, que, na linha paterna, descende de duas fêmeas Top 10% para produção de leite: Ibiúna, avó, com GPTA de 366 kg, e Tática, bisavó, com GPTA de 367 kg. 

 

Na linha materna, Cartilha é descendente de Excelente do Basa, mãe, lactação de 10.261 kg de leite e GPTA de 165 kg; e Planta TE Cal, avó, lactação de 10.281 kg de leite, Grande Campeã do Torneio Leiteiro de Uberaba (MG) em 2009.

 

Além de seu inegável perfil leiteiro e da substancial consistência genealógica para produção de leite, Cartilha FIV do Basa é originária de  Supra-Sumo de Brasília, avô paterno, Herdeiro de Brasília e Florada Raposo Cal, bisavós maternos, genearcas que potencializam a diminuição do parentesco médio.

 

Esta é a oportunidade de um investimento certeiro para quem se preocupa com o futuro. Sob a Luz da Genômica, os melhores investimentos ficam mais evidentes.

Nas Fazendas do Basa, a ‘Casa das Grandes Mães’, a excelência genética do rebanho contribuiu para que as netas também atingissem o status de ‘Grandes’, uma vez que, Sob a Luz da Genômica, são  positivas para produção de leite, seguindo a mãe e a avó.

 

Este fato elevou as ‘Grandes Netas’ ao patamar de destaques absolutos entre as Fêmeas do Gir Leiteiro.

 

Caruaru FIV do Basa, GPTA de 230 kg - filha da Humanizada FIV do Basa, GPTA 347 kg, 11.176 kg de leite; neta de Estrada TE, GPTA de 278 kg, 10.195 kg de leite - é uma das ‘Great granddaughters’.

 

O vigor genético e a consistência leiteira da genealogia de Caruaru FIV do Basa remetem à FB Nostalgia, 8.708 kg de leite, bisavó; e a FB Heligrofia, 9.087 kg de leite, trisavó.

Catolândia FIV do Basa, GPTA 275 kg (Gengis Khan de Brasília x Pedreira FIV Kubera, GPTA 220 kg), é outra rês do Leilão Sob a Luz da Genômica que ostenta o status da Família Nefrita.

A evolução está evidenciada em Catolândia FIV do Basa, primeiro porque ela apresenta GPTA superior ao da mãe, Pedreira, Grande Campeã do Torneio Leiteiro do Araxá (MG) com média diária de 62,536 kg de leite; depois, porque o fenótipo lapidado valoriza a angulosidade de suas formas e ressalta o tipo leiteiro.

Barroquinha FIV do Basa será ofertada no Leilão Sob a Luz da Genômica, dia 31/10, às 20:30h, com transmissão pelo Canal Terra Viva.

Sob a Luz da Genômica, Barroquinha FIV do Basa, ocupante do estrato superior do Sumário de Fêmeas Jovens, com GPTA de 448 kg, mostra evolução quando comparada a mãe, Fábrica DC TE, que apresenta GPTA de 434 kg.

Ainda Sob a Luz da Genômica, a preponderância genética contida na genealogia da Barroquinha  é evidenciada porque ela segue a mãe, a avó e a bisavó, todas classificadas como Top 10% para produção de leite. Contudo, a evidência da preponderância aumenta quando percebemos que o nome da avó é Fábrica FIV de Brasília.

Além de possuir predicados genealógico e genômico, Barroquinha está gestando embrião sexado de fêmea, fruto do acasalamento entre Jaguar TE do Gavião e Insensata FIV do Basa, GPTA de 666 Kg. Portanto, no ventre, Barroquinha carrega uma irmã completa de Otilia FIV do Basa, rês que apresenta a maior GPTA do Gir Leiteiro, 815 Kg.

Prima-dona 

 

Relacionada na parte superior do estrato das Fêmeas Jovens Top 10% para Produção de Leite, Colômbia FIV do Basa ocupa a 7ª posição da lista que apresenta 622 animais, e o 10° posto entre as 1.185 primas-donas, que são graduadas como Top no Sumário Brasileiro de Fêmeas 2019.

 

Colômbia FIV do Basa, com GPTA de 713 kg, além exemplificar um dos conceitos de melhoramento, o que preconiza a geração mais nova ser superior a mais velha, é uma das representantes da quarta geração da maior dinastia de Fêmeas Gir Leiteiro Top 10%, visto que é filha da Insensata FIV do Basa, GPTA 666 kg, portanto é neta da Fábrica FIV de Brasília, GPTA 598 kg e bisneta da Tática TE de Brasília, GPTA 367 kg.

Superlativas, Fábrica e suas descendentes impulsionam o melhoramento do Gir Leiteiro

 

A fenomenal Fábrica FIV de Brasília tem 164 descendentes classificadas como Top 10% para Produção de Leite. São 23 filhas Fêmeas Jovens, 29 filhas Fêmeas Adultas, 108 netas Fêmeas Jovens, 2 netas Fêmeas Adultas e 2 bisnetas Fêmeas Jovens. Destaque absoluto do Sumário Brasileiro de Fêmeas 2019, Fábrica é um superlativo em si, é o superlativo dos superlativos da avaliação genômica, da preponderância genética e do melhoramento.

 

Quem tem interesse em agregar ao rebanho a excelência genética transmitida pela Fábrica, precisa estar atento ao Leilão Sob a Luz da Genômica. O evento acontecerá no dia 31/10, com transmissão pelo Canal Terra Viva.

Entre as descendentes da Fábrica que serão levadas a hasta pública, está uma filha que se destaca por ocupar o vértice da pirâmide das Fêmeas Jovens Top 10% para Produção de Leite. Trata-se de Campestre FIV do Basa, com GPTA de 623 kg, que terá 50% de suas cotas ofertadas no pregão.

Top 10% e descendente de Luzíada de Brasília, Conversa FIV do Basa será levada a hasta pública

O status de rês superior sobressai em Conversa FIV do Basa, posto que a excelência do fenótipo, além de retratar o grande potencial para produção de leite desenvolvido por intermédio de seu vigor genealógico, valoriza o notável resultado que ela obteve na avaliação genômica.

Conversa FIV do Basa, fêmea jovem com GPTA de 508 kg, é Top 10% para Produção de Leite, seguindo a mãe, Bonita FIV da F.E, detentora da GPTA de 496 kg e lactação de 11.886 kg de leite. Esses números são reflexos da preponderância genética herdada da matriarca Luzíada de Brasília TN1, avó materna da Conversa FIV do Basa.

Superlativas, Fábrica e suas descendentes impulsionam o melhoramento do Gir Leiteiro

 

A fenomenal Fábrica FIV de Brasília tem 164 descendentes classificadas como Top 10% para Produção de Leite. São 23 filhas Fêmeas Jovens, 29 filhas Fêmeas Adultas, 108 netas Fêmeas Jovens, 2 netas Fêmeas Adultas e 2 bisnetas Fêmeas Jovens. Destaque absoluto do Sumário Brasileiro de Fêmeas 2019, Fábrica é um superlativo em si, é o superlativo dos superlativos da avaliação genômica, da preponderância genética e do melhoramento.

 

Quem tem interesse em agregar ao rebanho a excelência genética transmitida pela Fábrica, precisa estar atento ao Leilão Sob a Luz da Genômica. O evento acontecerá no dia 31/10. com transmissão pelo Canal Terra Viva.

 

Entre as descendentes da Fábrica que serão levadas a hasta pública, está um embrião sexado de fêmea, fruto do acasalamento entre Otília FIV do BASA e Supra-sumo de Brasília.

Beautiful Baby

 

Com status e luminosidade de estrela da raça, a terneira Dafine FIV do Basa é a ‘Baby’ do Leilão Sob a Luz da Genômica. 

 

Ela sobressai, primeiro porque o resultado da sua avaliação genômica mostrou GPTA acima da média, 308 kg; depois porque é detentora de tipo leiteiro evidenciado e feminilidade graciosa. E, por fim, porque é representante da quarta geração da maior dinastia de Fêmeas Gir Leiteiro, visto que é filha da Albertina FIV do Basa, GPTA de 384 kg, portanto é neta da Fábrica FIV de Brasília, GPTA de 598 kg e bisneta da Tática TE de Brasília, GPTA 367 de kg.

Otília FIV do Basa se destaca por ocupar o vértice da pirâmide das Top 10% para Produção de Leite, com a maior GPTA da raça, 815 kg.

 

Além de exemplificar um dos conceitos de melhoramento, o que preconiza a geração mais nova ser superior a mais velha, Otília representa a quarta geração da maior dinastia de Fêmeas Gir Leiteiro Top 10%, visto que é filha da Insensata FIV do Basa, GPTA 666 kg, portanto é neta da Fábrica FIV de Brasília, GPTA 598 kg e bisneta da Tática TE de Brasília, GPTA 367 kg.

Clássico & Top 10%

 

Faxinal FIV Basa Pantanal, lote do Leilão Sob a Luz da Genômica, é fruto do acasalamento entre CA Sansão e vaca Radar dos Poções. Esse cruzamento se  tornou um clássico do Gir Leiteiro, porquanto gera fêmeas de elevado desempenho produtivo, com beleza racial e temperamento linfático. 

 

No entanto, o diferencial de Faxinal FIV Basa Pantanal está na linha materna, visto que, com GPTA de 366 kg, ela segue a mãe, Irajá FIV de Brasília, que apresenta GPTA de 384 kg, e a avó, Tática TE de Brasília, detentora da GPTA de 367 kg, constituindo três gerações Fêmeas Gir Leiteiro Top 10% para Produção de Leite. 

Supremacia Genômica das 19 irmãs Top 10% para Produção de Leite elevam o cacife genético de Bilac FIV do Basa 

 

Descendente de três protagonistas do melhoramento do Gir Leiteiro, Jaguar TE do Gavião, CA Sansão, Fábrica FIV de Brasília; Bilac FIV do Basa terá 50% das suas cotas comercializadas no Leilão Sob a Luz da Genômica. 

 

O inegável potencial genômico do jovem padreador é referenciado por suas 19 irmãs completas, ocupantes do estrato superior do ranking das Top 10% para produção de leite, entre elas a 2ª colocada no ranking geral e a 5ª colocada no ranking das Fêmeas Jovens. 

 

A avaliação genômica, além de comprovar a consistência leiteira da família, ratifica as excepcionais qualidades de Bilac, touro que conjuga a força do tipo leiteiro com a beleza racial.

Programa Nacional de Melhoramento do Gir Leiteiro

- Redentor da pecuária leiteira tropical e penhor da igualdade entre os leiteristas brasileiros -

Os resultados alcançados nos controles leiteiros e nos torneios realizados durante as exposições comprovam que o progresso da evolução produtiva está presente em todos os galpões dos parques de exposição e nos currais de ordenha do país.
Embora o Sumário Brasileiro evidencie quais são as principais famílias do Gir Leiteiro, as tesselas do mosaico leiterista mostram que a raça é sustentada pela diversidade genética. E a divulgação dos feitos, que outrora ficava restrita à mídia impressa, hoje é democratizada pelas redes sociais.
Já não existem grandes nem pequenos. O Programa Nacional de Melhoramento do Gir Leiteiro, o comércio de sêmen, as ferramentas biotecnológicas, os smartphones e os leilões, com as oportunidades que oferecem, possibilitam a igualdade entre os criadores no cenário produtivo.
A pujança do rebanho é proporcional ao foco do criador nas ferramentas de melhoramento e de mídia existentes. Hoje, só não cresce quem quer permanecer pequeno.

Leilão Sob a Luz da Genômica ofertará Liga FIV do Basa, Top 10% para Produção de Leite 

 

Liga FIV do Basa, que tem seu nome estampado no Sumário de Fêmeas, é uma Fêmea Adulta Top 10% para produção de leite, com GPTA de 451 kg, e lactação de 11.318 kg de leite.

 

Com genealogia de muita consistência leiteira, Liga é filha da Harpada TE BJS, matriarca que apresenta GPTA de 336 kg, lactação de 7.700 kg de leite; e neta da Oficina de Brasília, doadora que fez lactação de 9.774 kg de leite.

 

Liga FIV do Basa carrega no ventre prenhez de Jacustor do Basa, touro que está em Teste de Progênie. Ele é fruto do acasalamento entre Fardo FIV Mutum e Filó FIV do Basa, doadora que apresenta GPTA de 336 kg, e fez lactação de 12.920 kg de leite. Por sua vez, Filó FIV do Basa é filha de Jaguar TE do Gavião e Florida FIV de Brasília, doadora com GPTA de 220 kg e lactação de 8.167 kg de leite.

Top 10%, Liga FIV do Basa, lote 8 do Leilão Sob a Luz da Genômica, carrega no ventre produto de Jacustor do Basa.

 

Jacustor do Basa, touro que está em Teste de Progênie, destaca-se por gerar fêmeas com evidente tipo leiteiro. Consanguíneo de SC Uaçaí Jaguar, ele é filho de Fardo FIV Mutum e Filó FIV do Basa, doadora que apresenta GPTA de 336 kg e fez lactação de 12.920 kg de leite. Por sua vez, Filó FIV do Basa é filha de Jaguar TE do Gavião e Florida FIV de Brasília, doadora com GPTA de 220 kg e lactação de 8.167 kg de leite.

 

Com GPTA de 451 kg e lactação de 11.318 kg de leite, Liga tem seu nome estampado no Sumário de Fêmeas como Fêmea Adulta Top 10% para produção de leite. Detentora de genealogia que se sobressai pela elevada consistência leiteira, Liga é filha da Harpada TE BJS, matriarca que apresenta GPTA de 336 kg e lactação de 7.700 kg de leite. A avó de Liga é Oficina de Brasília, doadora que fez lactação de 9.774 kg de leite.

No Leilão Sob a Luz da Genômica serão comercializados somente animais com avaliação genômica positiva. Com essa iniciativa as Fazendas do Basa, além de reacenderem a importância do melhoramento ser baseado em informações científicas, disponibilizam material genético que contribuirá para acelerar o progresso de outros rebanhos.

 

Charme FIV do Basa, lote 23 do leilão, foi avaliada como depositária da GPTA de 323 kg. O resultado demonstra - quando comparada com sua mãe, Fortuna FIV de Brasília, detentora da GPTA de 204 kg - evolução na habilidade predita de transmissão genômica para produção de leite. A magnitude do crescimento pode ser atribuída a consistência leiteira da genealogia, uma vez que o pedigree, afora Jaguar TE do Gavião e Fortuna FIV de Brasília, reúne CA Sansão com Luzíada de Brasília.

 

“Se tem charme, não precisa de mais nada; se não o tem, tudo o resto não serve para muita coisa.” James Matthew Barrie

Conversa FIV do Basa, lote 17 do Leilão Sob a Luz da Genômica, é Top 10% e descendente de Luzíada de Brasília.

 

O status de rês superior sobressai em Conversa FIV do Basa, posto que a excelência do fenótipo, além de retratar o grande potencial para produção de leite desenvolvido por intermédio de seu vigor genealógico, valoriza o notável resultado que ela obteve na avaliação genômica.

 

Conversa FIV do Basa é Fêmea Jovem Top 10% para Produção de Leite, com GPTA de 508 kg; seguindo a mãe, Bonita FIV da F.E, também Top 10% com GPTA de 496 kg e lactação de 11.886 kg de leite. 

 

Esses números são reflexos da preponderância genética herdada da matriarca Luzíada de Brasília TN1, avó materna da Conversa FIV do Basa.

@ 2020