LogoNovoFazendasdoBasa-medio.jpg
ZznFull-1516.jpg
Banner_3basaViaLactea2.jpg
hoje.jpg
3AnuncioLeilãoBasaViaLactea2.jpg

3º Leilão Estrelas da Seleção Basa-Via Láctea

 

A seleção Basa-Via Láctea progride com rapidez, multiplicando muito. Já podemos vender animais jovens espetaculares, consistentes. Em Uberaba (MG), aguardamos o fim da pandemia e o início das grandes Exposições para levar nossas Estrelas para as pistas. A ideia central do projeto Basa-Via Láctea está consolidada com ampliação de animais advindos de todas as principais Fazendas da Raça, fortalecendo a diversidade em nossa seleção. Obtivemos espetacular desempenho nas avaliações genômicas de 2021, como se pode ver em diagramas nesta página. O terceiro leilão repete os dois primeiros em qualidade da oferta e acrescenta novas certezas no melhoramento da fantástica raça Gir Leiteiro. 

Agradecemos sua atenção e audiência a nosso leilão nessa primavera auspiciosa.

3AnuncioLeilãoBasaViaLactea.jpg
basilisadachamada.jpg
Lambadachamada.jpg
bocudadachamada.jpg
LOTE30.png
LOTE31.png
ariela3.jpg
pacote_prenhezes.jpg

NALDIRA FIV DO BASA, Uma grande oportunidade para o melhoramento do Gir Leiteiro

 

O 3º Leilão Estrelas da Seleção Basa-Via Láctea, recheado por lotes de animais de grande mérito genético, elevadas lactações e tipo leiteiro evidente, representa uma oportunidade imperdível para quem busca o melhoramento de seu rebanho. Trata-se de um evento com evidentes chances de bons negócios do princípio ao fim, seja para quem pretende iniciar a criação de Gir Leiteiro ou para quem já está com seu rebanho estabelecido.

Os lotes 30 e 31 são exemplos de duas ocasiões que não devem ser desperdiçadas. O lote 30 é composto por um pacote de três prenhezes de produtos que não possuem ‘conexão’ entre as linhas paterna e materna, permitindo ao investidor estruturar uma base genética diversificada a partir de acasalamentos criteriosamente idealizados. Já o lote 31 é formado por um pacote de três prenhezes que privilegiam o incremento do ganho genético a curto prazo e a redução do intervalo entre gerações.

VIBA 140 (22).jpg

A importância dos lotes 30 e 31 está em sua composição: os dois são formados por prenhezes da monumental Naldira FIV do Basa (CA Sansão x Ilda FIV F Mutum). Para quem deseja fazer o melhoramento baseado na diversificação genética, o lote 30 traz a prenhez por Picasso FIV 2B (Jaguar TE do Gavião Dina Radar TE Cal). Para quem aposta na endogamia para alavancar o mérito genético e o desempenho produtivo, o lote 31 vem com prenhez por Bilac FIV do Basa (Jaguar TE do Gavião x Honesta FIV do Basa).

BASA 252 (31).JPG

ARIELA FIV DO BASA, UMA RARA OPORTUNIDADE DE INVESTIMENTO CERTEIRO PARA QUEM SE PREOCUPA COM O FUTURO DA SELEÇÃO

 

Quem é Girleiterista ou criador de Girolando, conhece a performance das filhas da Fábrica e sabe que - somente nas Fazendas do Basa - 16 delas fecharam lactação com produção superior a 10 mil kg/leite. Também não desconhece que, para além de ser Top 10% para Produção de Leite, ela é a matriarca com o maior número de descendentes relacionadas no Sumário Brasileiro de Fêmeas.

Postar nas redes sociais fotografias e vídeos das filhas da Fábrica FIV de Brasília e destacar que ela é hoje a maior referência do Gir Leiteiro quando se trata de conceber filhas producentes pode ser considerado um grande clichê. A afirmação ficou enfadonha pela repetição, pelo lugar-comum, não tem mais originalidade.

Apesar disso, esse clichê - em sua aparente falta de originalidade - esclarece o argumento de que, para se aproximar da perfeição, 

uma fêmea Gir Leiteiro precisa apresentar uma lactação que seja viável economicamente e possuir evidente tipo leiteiro, o que inclui todas as

características de conformação e manejo aprovadas pelo sistema de avaliação linear. 

Da mesma maneira, mostra que para se enquadrar entre as 'Supremas', a fêmea Gir Leiteiro precisa ter enorme mérito genético, abertura genealógica para ser acasalada com os principais touros e produzir descendentes iguais ou melhores do que ela, gêneses de gerações em permanente evolução.

Por conseguinte, o chavão usado para ressaltar que as filhas da Fábrica fazem parte da seleta confraria de fêmeas que ostentam o status de 'Supremas', é a forma categórica para comunicar que uma delas, ARIELA FIV DO BASA (por CA Sansão), compõe o lote 1 do 3º Leilão Estrelas da Seleção Basa-Via Láctea.

ARIELA FIV DO BASA foi a Melhor Fêmea Jovem na 1ª Avaliação Genômica da raça e mostra força genética, visto que superou sua mãe – 1.195 kg, frente a 1.011 kg – na estimativa da capacidade prevista de transmissão genômica (GPTA) para produção de leite.

Em termos de complementaridade de valorização, o lote é revestido de uma particularidade que faz diferença essencial: ARIELA FIV DO BASA está prenhe de JOGRAL FIVE DE BRASÍLIA, vice-líder do Sumário de Touros, filho do Supra-Sumo de Brasília e neto da Luzíada de Brasília.

A oportunidade de incorporar ao plantel uma doadora desse naipe é muito rara e, no fim das contas, para quem efetivamente se preocupa com o futuro da seleção, mais vale um gosto do que um carro de abóboras.

EM DUPLA, JAGUAR E SANSÃO FAZEM SUCESSO NOS CURRAIS DE LEITE DO MUNDO TROPICAL

 

Engana-se quem acha que só na música encontrará as duplas que conquistaram prestígio. Elas também estão presentes na mitologia, cinema, televisão, literatura e em outros lugares. A própria história está repleta de parcerias inesquecíveis. Se quiséssemos prolongar no assunto, poderíamos rememorar uma enorme lista que na sua gênesis teria Adão e Eva, passaria pelos tradicionais e populares da gastronomia - pão com manteiga, goiabada com queijo, molho de tomate com manjericão, arroz com feijão - e, por sermos Gir Leiteiristas, as lembranças desembocariam no clássico da produção de leite no Brasil, Jaguar TE do Gavião com CA Sansão.

 

A dupla Jaguar TE do Gavião e CA Sansão é, hoje, praticamente uma unanimidade como sinônimo de grandeza. Trazendo proeminência ao Gir Leiteiro, os genes dos dois touros, em conjunto, compõem o DNA da maioria das vacas que se tornaram famosas pelo desempenho produtivo representando o sucesso que muitos criadores buscam alcançar.

VIBA 140 (22).jpg

Basa-Via Láctea Açucena, um dos lotes do 3º Leilão Estrelas da Seleção Basa-Via Láctea, é um exemplo de animal que detém pedigree clássico e excelência genética produzida pela dupla de touros. Ela é filha do Jaguar e neta do Sansão.

Açucena está ao seu alcance num só lance no leilão que acontecerá no dia 30/9/2021, às 20:30 h, com transmissão pelo Canal Terra Viva.

VIBA 190 (4).jpg

BAGUETE DESCENDE DE GRANDES MATRIARCAS

 

O Gir Leiteiro produz animais policromáticos, formando um mosaico de cores que encanta os olhos e enche os baldes de leite. Além de elevar o desempenho produtivo e intensificar a persistência da lactação do Gir Leiteiro, quatro progenitores – CA Sansão, Radar dos Poções, Bem Feitor Raposo e Teatro da Silvania – são também responsáveis por colorir os currais de leite e os pastos do Brasil. Suas descendentes, que estão na maioria dos currais brasileiros e são protagonistas de grandes produções, costumam desfilar num figurino multicolorido.

É a genética desses quatro extraordinários ancestrais que, cumulativamente, sustenta o pedigree de Naldira FIV do Basa (770 kg de GPTA -12.862 kg/leite), mãe da Basa-Via Láctea Baguete (por Jaguar TE do Gavião), bezerra que será ofertada no 3º Leilão Estrelas da Seleção Basa-Via Láctea.

 

Naldira FIV do Basa, portadora de exuberante tipo leiteiro e excelente sistema mamário, descende de quatro matriarcas que também fizeram lactações substantivas: Ilda FIV F Mutum (9.303 kg de leite), Deliciosa F Mutum (10.063 kg de leite), Palma F Mutum (9.111 kg de leite), Tutela 3R B Monte (5.717 kg de leite).

O MÉRITO GENÉTICO DE BARBACENA É MONUMENTAL

 

Basa-Via Láctea Barbacena (Gengis Khan x Otilia FIV do Basa), bezerra que compõe um dos lotes do Leilão Estrelas da Seleção Basa-Via Láctea,  ostenta grande mérito genético e cria boas expectativas quanto ao seu desempenho produtivo e reprodutivo.

 

Na linha materna,  Basa-Via Láctea Barbacena compõe uma linhagem de fêmeas classificadas como Top 10% para Produção de Leite que ultrapassaram o valor de 1.000 kg de GPTA, com a mãe superando a avó na estimativa da capacidade prevista de transmissão genômica para produção de leite, e a avó superando a bisavó na mesma característica. A genealogia de Barbacena remete a Jaguar TE do Gavião, CA Sansão, Tática TE de Brasília e Modelo TE de Brasília, sendo que Sansão e Modelo sustentam as linhas paterna e materna.

VIBA 184 (53).jpg
VIBA 180 (47).jpg

BRASILEIRA É ARISTOCRATA

 

Basa-Via Láctea Brasileira, um dos lotes do Leilão Estrelas da Seleção Basa-Via Láctea, faz parte da aristocracia leiteira. Ela é fruto do acasalamento de Myrcia FIV do Basa - 1.001 kg de GPTA e lactação de 11.763 kg/leite - com Feriado FIV da JGVA. 

 

Na linha materna, Basa-Via Láctea Brasileira compõe uma linhagem de fêmeas classificadas como Top 10% para Produção de Leite e sua genealogia remete a Tática TE de Brasília e Modelo TE de Brasília. A bisavó materna, Fábrica FIV de Brasília, é um dos destaques do Sumário de Fêmeas. O pedigree é sustentando por Jaguar TE do Gavião, CA Sansão e Modelo TE de Brasília, touros que são protagonistas do Sumário de Fêmeas.

 

O pai da Basa-Via Láctea Brasileira, Feriado da JGVA, apresenta 556 kg de PTAL. Conjugando Radar, Teatro e Sansão em seu pedigree, Feriado é filho da Insistência TE BJS, recordista mundial de Produção Vaca Jovem Fenagro-2011, com produção média de 50,19 kg/leite; neto da Coraça BJS - outra recordista mundial de produção com lactação de 13.945 kg/leite, e bisneto da Restinga de Brasília, 9.548 kg/leite.

 

ANICE FIV É UMA DAS ESTRELAS DA BASA-VIA LÁCTEA

 

Ser classificada com 'Estrela' é um sinal do prestígio que somente deve ser ostentado por animais pertencentes às dinastias que se consagraram através da supremacia genômica e a permanente evolução produtiva de seus membros.

Basa-Via Láctea Anice FIV reúne essas condições, à vista disso será ofertada no Leilão Estrelas da Seleção Basa-Via Láctea.

Entre os muitos motivos para exaltar a supremacia genômica de Basa-Via Láctea Anice FIV (Lusitano do Basa x Myrcia FIV do Basa), podemos ressaltar que: 1) na linha materna ela compõe uma linhagem de fêmeas classificadas como Top 10% para Produção de Leite e sua consistência genealógica para produção de leite remete a Tática TE de Brasília e Modelo TE de Brasília, que são, ao mesmo tempo, bisavós paternos e trisavós maternos; 2) a bisavó materna, Fábrica FIV de Brasília, e avó paterna, Ibiúna FIV de Brasília, são irmãs completas e destaques absolutos do Sumário

 

VIBA 123 (39).jpg

de Fêmeas; 3) o pedigree é sustentando por Jaguar TE do Gavião e CA Sansão, touros que são protagonistas do Sumário de Fêmeas, e Supra-Sumo de Brasília, “indutor do refrescamento de sangue”.

VIBA 56 (39).jpg

GENEALOGIA CLÁSSICA REALÇA O MELHORAMENTO GENÉTICO

 

A genealogia clássica - Jaguar, pai, Sansão, avô materno, Modelo, bisavô materno - está entre as principais tendências da moda. Ela acontece não por acaso, e, felizmente, como consequência, faz surgir animais com características de conformação e manejo mais próximas do ideal, pois são portadores de maiores habilidades preditas de transmissão genômica (GPTAs) para produção de leite e quanto à idade ao primeiro parto.

 

Basa-Via Láctea Andina (Jaguar TE do Gavião x Agnes FIV do Basa), rês que compõe um dos lotes do Leilão Estrelas da Seleção Basa-Via Láctea, tem sua árvore genealógica construída no formato clássico, com suas bases fincadas nos três grandes touros do Gir Leiteiro e uma excepcional matriarca, Fábrica FIV de Brasília.

Nessa conformidade, não é por casualidade e nem é à toa que Basa-Via Láctea Andina é detentora de valor genômico maior do que o de sua mãe – 917 kg, frente a 862 kg – pois esse resultado revela que o acasalamento clássico favorece animais de grande mérito genético para a produção do Gir Leiteiro com a qualidade demandada pela função. Isso mostra que a sabedoria está, desde sempre, incutida na gênese do melhoramento.

 

Lambada WAD, uma matriarca conformada com a genealogia robusta e tipo leiteiro evidente

 

Lambada WAD, lote do 3º Leilão Estrelas da Seleção Basa-Via Láctea, é consanguínea de CA.Sansão, padreador que sustenta as linhas baixa e alta do seu pedigree. Essa consanguinidade fixou a preponderância genética para alto desempenho produtivo. Além disso, e por complementaridade, na composição do DNA de Lambada WAD estão presentes os genes outros dois grandes genearcas do Gir Leiteiro: Modelo TE de Brasília e Radar dos Poções. A genealogia é muito robusta, à vista disso, Lambada apresenta evidente tipo leiteiro.

 

Filha de Gengis Khan de Brasília – touro número 1 do ranking, Lambada WAD (910 kg de GPTA) superou a mãe, Noly FIV F Mutum na produção de leite - 6.831 kg frente a 6.746 kg -, e a avó, Fécula TE F Mutum (884 kg de GPTA) na capacidade predita de transmissão genômica para produção de leite. Esses números também são reflexos da preponderância genética herdada da

WADI 1269 (99).jpg

bisavó da Lambada WAD, a matriarca Palma F Mutum (Teatro da Silvania x Tutela 3R B. Monte) 9.111 kg de leite.

Em termos de complementaridade de valorização, o lote é revestido de uma particularidade que faz diferença essencial: Lamabada WAD está gestando produto de Feriado FIV da JGVA. Além de conjugar Radar e Teatro em sua genealogia, Feriado, com 556 kg de PTAL, é filho da Insistência TE BJS, recordista mundial de Produção Vaca Jovem Fenagro-2011, com produção média de 50,19 kg/leite. O parto está previsto para 21/9/21 - ou seja, na semana anterior ao leilão, que acontece no dia 30/9, às 20h30 com transmissão pelo Canal Terra Viva.

BASP 1860 (35).jpg

NALU FIV DO BASA 

 

Nalu FIV do Basa, um dos lotes do 3º Leilão Estrelas da Seleção Basa-Via Láctea, tem genealogia privilegiada quanto à diversidade genética e quando buscamos famílias de alta lactação.

 

O resultado da avaliação genômica da Nalu FIV do Basa, 416 kg de GPTA, e o seu desempenho produtivo, 7.678 kg/leite, comparado com o desempenho produtivo de sua mãe, 6.663 kg/leite, é exemplo do sucesso que pode ser alcançado com a variabilidade genética. Isso, porque a sua genealogia é um mosaico formado por animais de diferentes criatórios que se juntam e se justapõem, provocando o crescimento da heterose que contribuirá para transmissão da capacidade produtiva nas suas descendentes, principalmente se elas forem Girolando.

 

Nalu é filha de Tabu TE da Cal, 537 kg de PTAL, e Integra FIV Silvania. Portanto, ela é descendente de duas grandes matriarcas, Juliana Cal e ELFAC Nata Lageado, e de dois touros de ellevado mérito genético, Radar dos Poções e Modelo TE de Brasília. 

BASA-VIA LÁCTEA BOCUDA É O ARQUÉTIPO DA GENÉTICA LEITEIRA 

 

Basa-Via Láctea Bocuda, bezerra que será ofertada no 3º Leilão Estrelas da Seleção Basa-Via Láctea, faz parte da aristocracia leiteira. Além de neta da Fábrica, uma das maiores referências do Gir Leiteiro quando o assunto é conceber filhas, netas e bisnetas producentes e com boa avaliação genômica, Bocuda é fruto do acasalamento de Albertina FIV do Basa - 813 kg de GPTA e lactação de 8.463 kg/leite - com Feriado FIV da JGVA. 

Além de conjugar Radar, Teatro e Sansão em sua genealogia, Feriado da JGVA, com 556 kg de PTAL, é filho da Insistência TE BJS, recordista mundial de Produção Vaca Jovem Fenagro-2011, com produção média de 50,19 kg/leite; neto da Coraça BJS - outra recordista mundial de produção com lactação de 13.945 kg/leite, e bisneto da Restinga de Brasília, 9.548 kg/leite.

 

VIBA 189 (25).jpg
VIBA 169 (116).jpg

BASILISA É UMA ‘BARBADA’ PARA OS MELHORISTAS DO GIR LEITEIRO

 

Basa-Via Láctea Basilisa, bezerra que será ofertada no 3ª Leilão Estrelas da Seleção Basa-Via Láctea, é filha da Justa FIV do Basa, doadora com potencial comprovado para formar rebanho, e de Jaguar TE do Gavião, touro que domina o Sumário Brasileiro de Fêmeas, dado que é pai de grande parte das Top 10% para produção de leite.


Pertencente à principal família do Sumário Brasileiro de Fêmeas, Justa FIV do Basa, 12.794 kg de leite e 1.161 kg de GPTA, ocupa posição de destaque no Ranking das Fêmeas Adultas Top 10% para produção de leite. Justa (por CA Sansão) é filha de Fafá FIV de Brasília e neta de Tática TE de Brasília. Justa é irmã materna do Fabuloso do Basa (por Teatro da Silvania), touro aprovado pelo Teste de Progênie com 890 kg de PTAL.