O Brasil vai matar suas vacas de leite?

Vamos começar perguntando: teremos mais uma crise? De que importância e duração? Já disse em outra postagem que alguns chamam isso de tempestade perfeita: alto preço de insumos, preço alto da arroba, importação do Mercosul, redução do consumo com a interrupção do auxílio emergencial, etc., etc.

Ainda não há certezas sobre o tamanho da crise. Mas, há certeza sobre a gravidade. Dessa vez, com o aprofundamento muitos talentos empresariais de pequeno e médio porte vão sair da produção primária. Sim, com o insuficiente pagamento por kg de leite pelos laticínios, quem lida com números e sabe que os preços de milho e soja continuarão altos já entendeu que a conta não vai fechar tão cedo. ​ ​Um Amigo me diz que se o produtor profissional não receber perto de 3 reais por kg de leite, ele deixará a atividade. Número que, acredito, não será pago a nenhum produtor pequeno ou médio.

Os grandes produtores (acima de 5 mil kg /dia) poderão receber algo parecido, havendo a redução geral da produção no mercado interno, retorno de dinheiro emergencial (providência social e eleitoral) e uma trava nas importações da Argentina e Uruguai. Mas, como falei de fazer contas, quanto vai custar essa crise (vai haver?) para o Brasil? Para o consumidor, o cidadão, para todos enfim? Se vamos matar alguns milhões de vacas, quantos empregos vamos destruir? Muitos sabem que para criar um emprego custa caro, o último número que vi era de 12 mil dólares (uns 70 mil reais). Quanto vai custar para o País uma tendência acentuada de concentração na produção? Sabemos o que custa concentração setorial para a democracia? Prezados, quantas perguntas! Quem está preparado para dar tantas respostas, com seriedade e respeito aos interesses das gerações futuras? Ei, você que é filho de um produtor rural e formou-se médico com o pouco dinheiro dos 80 kg diários que seu Pai obtinha, garantindo sua educação; ei você, arquiteto, advogado, diplomata, engenheiro, dentista, cantor, artista, etc., etc.; ei, vocês, filhos de pequenos e médios produtores de leite vão pensar no assunto? Ou o egoísmo e o esquecimento prevalecem? Quantas vacas leiteiras de bonitos úberes todos que estão calados vão matar amanhã?