(11) 99910-9575

ZznFull-1516.jpg

Saindo da crise do coronavírus. O Gir Leiteiro de grande mérito genético, riqueza do Brasil. Preparativos para ampliar a multiplicação de animais superiores. Oferta ao mercado interno e ao mundo tropical, que depende de percepção da oportunidade e de vontade política.

 

Essas são algumas de nossas ideias e convicções sobre trabalhar pensando no futuro, sem fantasias, com os pés na realidade, que temos publicado neste site.

Cada um em seu respectivo setor, acredito que todos os brasileiros podem fazer sua parte. Aos 75 anos, penso que temos o DEVER de levar aos formuladores de políticas públicas ideias que sejam lógicas e úteis para a saída da crise. O dinheiro público terá que ser muito bem aplicado, privilegiando e priorizando iniciativas multiplicadoras de RIQUEZAS para todos os Brasileiros.

Algumas publicações que descrevem nossa percepção estão no site, sem preocupação com ordem de encadeamento ou mesmo repetição. Não é algo editado, estão postadas da forma como foram originalmente divulgadas. O objetivo é chamar sua atenção e a dos agentes públicos, de maneira responsável, para uma oportunidade na nossa área de atuação profissional: O MELHORAMENTO DO GIR LEITEIRO.

Até este momento, ainda não tive nenhum sucesso. Mas não vou desistir. Continuarei a sugerir medidas viáveis, sérias, honestas, patrióticas. Ainda me resta a esperança de que alguém com poder e principalmente com sensibilidade volte a atenção para quem trabalha e produz, e se disponha a colaborar VERDADEIRAMENTE com o Brasil. Ao que parece, os governantes estão mergulhados numa política rasteira, sem tempo para examinar as questões voltadas ao crescimento da Nação Brasileira. Uma pena para todos nós!

Fico muito feliz por contar com sua atenção até aqui e pela eventual leitura do site e serei grato, com a mesma distinção, por qualquer crítica, apoio ou compartilhamento.

 

Evandro Guimarães.

Uma riqueza da pecuária do Brasil vai se desfazer 

 

O Gir Leiteiro de alto mérito genético é Brasileiro. É o Gir Leiteiro que permite o acasalamento dos sonhos de dezenas de países do mundo tropical: o F1 de Holandês com fêmeas melhoradas para leite da raça Gir. O que chamamos nas Fazendas do Basa de Meio-Sangue Plus do Basa. 

Todas as semanas recebemos muitas consultas do exterior sobre este gado, rústico e produtivo. Com o mundo esquentando, e a fome e outros fatos provocados pela pandemia assistimos que a preocupação das Nações em ter cada vez melhor Segurança Alimentar. O fenômeno está claro. 

Aliás, se o Nordeste fosse um País, e os recursos públicos fossem melhor utilizados, só o Nordeste demandaria alguns milhões dessas excepcionais fêmeas leiteiras F1, gerando emprego e renda. Imagine-se então todo o mundo tropical... 

 

Pois bem, ao que parece, o sonho acabou: os países que tem grande quantidade de fêmeas de origem Europeia, aquelas super confinadas e adequadas para climas mais frios, de alta produção, agora também nos consultam pois perceberam o tamanho do mercado de embriões, sêmen e animais que vai se instalar. 

Se não tivermos políticas públicas para manter nosso protagonismo nessa genética vamos ver passar um mar de dólares que deveria ser dos Brasileiros. Fico pasmo ao ver que quase ninguém percebe a perda futura. A Embrapa fez um grande trabalho através da Embrapa Gado de Leite fornecendo as bases de confiabilidade técnica para o Gir Leiteiro, para o Girolando, pode fazer para o Guzerá Leiteiro, etc., mas não vemos na mídia e nos esforços de comunicação da pecuária seletiva esse reconhecimento fundamental. 

 

Sou idoso, acho que não verei, mas já está no horizonte o Brasil importando embriões meio sangue... da genética que aqui desenvolvemos...

Controle leiteiro nas fazendas colaboradoras

Prezados Amigos da Pecuária de Leite, sempre que falo de controle leiteiro, estou na verdade falando de algo mais amplo, pois também está inclusa a obtenção de dados sobre a composição e qualidade do leite e as chamadas informações lineares. Estou pensando na necessidade de esforço conjunto para essa atividade.

Em maior ou menor escala, conhecer melhor os produtos da atividade leiteira e fortalecer o melhoramento do GADO DE LEITE é do interesse de todas as raças, tais como o Gir Leiteiro, o Girolando, o Holandês, o Guzerá para leite, o Pardo Suíço, o Jersey, e outras.

Mas trabalhamos isoladamente. Já temos um grande investimento em laboratórios para a qualidade do leite e as Associações de Raças, inclusive aquelas que tem a autorização para cobrar pelo registro genealógico, desenvolvem atividades isoladas. Penso que deveríamos ter um apoio governamental efetivo.

De início, uma campanha sobre a importância da atividade de aferição produtiva (e também qualitativa). Se o Brasil quer mesmo exportar, essa iniciativa é essencial. As empresas captadoras poderiam ser estimuladas a prestigiar a atividade de avaliação na fase primária de produção, como respeito aos consumidores. O Mapa é também responsável por abastecimento. Na verdade, percebo que as Instruções Normativas parecem ser mais fáceis de publicar, e menos eficazes.

A maior parte dos Brasileiros que produzem leite estão em pequenas e médias propriedades. Precisamos facilitar para que esses milhões de Brasileiros na atividade coloquem em prática aquilo que ajuda a melhorar a produtividade de seu rebanho e a qualidade de seu produto.

Penso que temos que lutar juntos por uma campanha para valorizar a atividade de controles leiteiros oficiais, em benefício dos produtores de leite, dos consumidores e do Brasil.

A sociologia das invenções e o Gir Leiteiro
 

Entendam meus Amigos que estou falando de invenções ou também de inovações, de ousadia empresarial, ou de iniciativas inteligentes e assemelhados. Simplificando muito, a sociologia das invenções aponta para a identificação em termos gerais de que elas ocorreram ao longo da história por duas condições: a capacidade técnica de desenvolver o invento e a necessidade social da invenção.

O Gir Leiteiro de alto mérito genético surgiu da necessidade social de termos animais leiteiros mais rústicos e produtivos nos trópicos, e foi dos Brasileiros a capacidade técnica de desenvolver esse fantástico invento. Agora, também temos que propagar a informação que o invento existe e disseminar o acesso, por demanda social, do maior número de produtores ao benefício que foi desenvolvido, inventado.

Estamos em uma encruzilhada que exige pessoas com senso de interesse coletivo, com ética, para avançarmos com equilíbrio na disseminação veloz do Gir Leiteiro de alto mérito genético para leite. Precisamos de Estadistas que se dediquem ao assunto, pois o Brasil é detentor de um tesouro, um diferencial, que não é discutido como deveria por quem está em posição de influenciar, em posição de poder. Polêmicas laterais, superficiais ou folclóricas tem espaço maior que posições sérias, de planejamento sistematizado, consistente, que o momento exige.

Pelo Brasil, pense nisso, Gir Leiteiro é um assunto sério, de Estado.

Dia Nacional do Produtor de Leite

 

Nesta data, meu pensamento se volta com intensidade para profundas e definitivas imagens da minha formação. Desde garoto em Leopoldina, gostava muito da Exposição anual. Em torno de 65 anos atrás, visitava o Parque, perto de onde eu morava e gostava de conversar com o pessoal que cuidava do gado exposto, de várias raças. 

Perguntava de quem era o gado e ouvi muitas vezes frases parecidas "...é do Sêo fulano daqui a pouco ele vai estar aqui com o menino dele que estuda medicina no Rio..." Talvez naquela idade eu não tivesse condições de avaliar o porte e as condições econômicas dos diferentes produtores e por isso desde sempre associei a produção de leite às lutas por educação de qualidade nas famílias, genericamente. 

Com o passar dos anos, observando a lida nos currais que conhecera nos vizinhos de meu Avô em Muriaé, fortaleceu-se minha convicção do heroísmo, tenacidade e dedicação dos produtores. Na praça da sede, quando eu estava no meu Avô, ficava atento sempre na hora da passagem do caminhão leiteiro que também trazia pão da cidade e o jornal. O motorista, o dono da "linha", subia à varanda para tomar um cafezinho e acentuava minha percepção... "sicrano tira 130 litros dia sem espuma e com isso está formando o menino e a menina dele..."  

Hoje eu me transporto no tempo e novamente me emocionam lembranças e as informações que acumulei sobre os dentistas, engenheiros, advogados, médicos, veterinários, agrônomos, e outros profissionais que se formaram graças ao duro trabalho diário, de 365 dias ao ano, produzindo leite. 

A minha grande admiração por quem se dedica ao futuro de sua família não é exclusiva quantos aos produtores de leite. Sou fascinado pelo exemplo de quem trabalha duro para melhorar a vida de seus filhos e isso acontece em inúmeras profissões ou atividades. 

Mas, no meu caso, o que vem sempre à tona é a lembrança de pequenos e médios produtores, seu trabalho nas condições que tiveram e a majestosa satisfação ou ouvir de alguns deles "... meu menino formou..." . 

Produtor de leite, seu nome é trabalho. Nessa data, eu me vejo com emoção a aplaudir esses fenomenais Brasileiros, exemplo da garra formidável que construiu a parte boa de nossa Nação, apesar das adversidades que ainda persistem. Parabéns!!!

 

Deixe aqui seus comentários e opiniões:

@ 2020