LogoNovoFazendasdoBasa-medio.jpg

Entusiasmo no WhatsApp: o Gir Leiteiro

Amigos já sabem que raramente acesso WhatsApp. Ontem foi diferente, passei boa parte do dia dedicado aos grupos onde se postam Gir Leiteiro e Girolando, em especial meio-sangue.

Impressionante como é rica a diversidade de criatórios, com animação jovial, com alegria, sobre fêmeas e machos, animais jovens e adultos. Como é rica a manifestação de recém-nascidos! A força da Raça está nessa agitação festiva com a beleza e funcionalidade, presente em inúmeros novos criadores e em tradicionais criadores pequenos e médios.

Anotei seis postagens muito interessantes para pesquisar melhor e eventualmente consultar sobre disponibilidades de produtos à venda. Senti dificuldades muitas vezes em saber o município do criatório. Mas, os prefixos dos telefones mostram que interessados na Raça estão em todo o Brasil. Em que municípios do Brasil estarão em maior número as fazendas que tem Gir Leiteiro em casa?

Não importando o número de animais, seria muito bom saber como a população do Gir Leiteiro se distribui por município. Descobri, ontem, 2 criadores que estão na minha região, a Zona Da Mata Mineira.

O que tem aumentado muito a quantidade de pequenos rebanhos Gir Leiteiro é a evidência do papel da doadora de boa performance para leite nos cruzamentos com machos holandeses.

Na pecuária de leite para os trópicos o Brasil tem jeito: temos o melhor gado leiteiro rústico e produtivo de todo o mundo. A fêmea precisa ser apropriada. Carecemos de uma palavra forte, institucional, sobre isso. Seria patriótico se acontecesse algo por parte do MAPA ou de Universidades e Institutos de Pesquisa.